O que é e como usar o Evernote?

“O que é esse ícone verde escrito ‘Clip’ com um elefante do lado?”

Clip do Evernote aqui no blog.

Clip do Evernote aqui no blog.

É um atalho para salvar no Evernote os textos que publico aqui.

“Ever o quê?”

O Evernote é um serviço que permite guardar anotações e lembretes de praticamente qualquer coisa, online, a partir do computador ou de smartphones, e encontrar todo esse conteúdo posteriormente de maneira bem fácil e rápida.

“Ahn… mas isso eu consigo fazer de outras formas, não?”

De certo modo, sim. Enviar emails para si mesmo, manter um bloco de anotações sempre atualizado, ou mesmo usar a agenda do celular para tal. Dá para fazer o que o Evernote oferece com outras ferramentas. Mas os extras dele fazem-no valer a pena e ser melhor que todas essas alternativas acima.

Dentre outros, os pontos que se destacam no Evernote são:

  • Onipresença e capacidade de lidar com qualquer tipo de conteúdo;
  • Sincronia constante com a nuvem;
  • Organização.

“Explica esse negócio de onipresença aí”

A Onipresença revela-se no fato de que há aplicativos do Evernote para várias plataformas, de sistemas operacionais para desktop distintos, às principais móveis, para smartphones modernos. E não só: ainda existe um email privado para enviar conteúdo e um utilíssimo bookmarklet para salvar conteúdo encontrado na Web.

Evernote: aplicativos para várias plataformas.

Evernote: aplicativos para várias plataformas.

Além dos aplicativos, existe um grande ecossistema de software e hardware que “conversa” com o Evernote. Recentemente foi lançada a Evernote Trunk, uma lojinha que exibe todos esses produtos que têm alguma relação com o serviço.

“E como eu organizo tudo?”

Ao salvar algo no Evernote, o usuário pode etiquetar (associar tags) o conteúdo para facilitar consultas futuras. Da rua, usando o smartphone, basta tirar fotos e submeter ao Evernote, que conta, inclusive, com um mecanismo de OCR embutido, transformando imagens de textos em texto propriamente dito, “pesquisáveis” pelo próprio serviço.

Outra forma de organizar as notas é criando notebooks, que podem ser segmentados por assunto ou divididos de acordo com o compartilhamento — notebooks podem ser privados (padrão), públicos ou compartilhados com pessoas selecionadas. Isso dá abre muitas possibilidades, profissionais e pessoais, de explorar o Evernote.

O modo de funcionamento do serviço propicia organização. De nada adianta salvar um mundaréu de coisas se, na hora em que elas forem necessárias, encontrá-las for uma tarefa difícil ou mesmo impossível. Aqui é onde o Evernote brilha.

“E a nuvem? Vai me dizer que esse Evernote faz chover!?”

Nuvem, nesse contexto, refere-se à Internet. O Evernote sincroniza com servidores Web, tornando todo o conteúdo salvo acessível de qualquer lugar com uma conexão disponível.

A conta gratuita dá direito a 40 MB de arquivos enviados por mês, além de ter outras limitações.

“Peraí, conta gratuita!? Quer dizer que existe um modelo pago?”

Ícone do Evernote.Sim, o Evernote Premium. Custa US$ 5 por mês, ou US$ 45 por ano. Os beneficios dessa modalidade são:

  • 500 MB de tráfego mensal;
  • Tamanho máximo por nota (única) de 50 MB;
  • Segurança aumentada via SSL;
  • Prioridade no reconhecimento de imagens;
  • Pesquisa dentro de arquivos *.pdf;
  • No iPhone ou iPod touch, acesso offline aos notebooks;
  • Remoção de anúncios;
  • Suporte prioritário.

Outras vantagens estão previstas, embora os desenvolvedores não revelem quais sejam.

“Gostei desse tal de Evernote! Tanto que quero colocar esse botãozinho dele no meu blog também. Como faz?”

O nome desse botãozinho é Site Memory, e ele é relativamente recente. Para instalar, basta ir à página do recurso e configurar o botão. Depois, abrir o(s) arquivo(s) correspondentes do seu tema, e inserir o código que o construtor do Site Memory fornece.

“Muito difícil. Diz aí o jeito mais fácil.”

Se seu blog é WordPress (instalado, não o .com), basta instalar esse plugin e configurá-lo da maneira que quiser.

“Vi um tal de ‘make money’ na página do Site Memory. Dá pra ganhar dinheiro com o Evernote?”

Sim, dá. Eles têm um programa de afiliados que reverte para quem indica novos usuários os US$ 10 primeiros dólares pagos pelo Evernote Premium.

Para tentar isso, preencha o formulário de cadastro e, depois, insira seu código de afiliado nas configurações do Site Memory. A ativação da conta de afiliado demora um pouquinho (a minha ainda não foi, fiz o cadastro ontem), mas nada o impede de já adicionar o botão no seu blog — a intenção é que ele seja útil para seus leitores, não rentável; isso é efeito colateral.

“Muita gente usa esse serviço?”

Num post do Weblog Tools Collection sobre o Site Memory, apareceu a informação de que os usuários do Evernote somam 4 milhões no mundo inteiro. É pouco se compararmos com outros sites sociais, como Twitter, Facebook e mesmo o orkut, mas ainda assim, é gente pra caramba.

No Brasil, a Bia Kunze é uma das usuárias mais conhecidas e das poucas que falam recorrentemente sobre o programa. Há várias dicas bem legais em seu blog.

“Taí, gostei. Obrigado por me apresentar ao Evernote. O que mais pode me dizer?”

Use sem moderação — só fique atento à sua cota mensal! E se manja um pouco de inglês, e tem dez minutinhos sobrando, assista a esse mini-tutorial bem didático:

Se ficar alguma dúvida, pergunte aí embaixo. Na medida do possível responderei.

4 thoughts on “O que é e como usar o Evernote?

  1. Tinha ouvido falar nele a um tempo atrás, mas não tinha utilidade até então. Mas a faculdade me exige muitos post-its anotações e afins, preciso de um sistema desse, online. Muito boa apresentação do produto.
    Vou testar, caso eu goste e me torne um usuário pago, quer me passar o link como se tivesse me convidado pelo sistema de afiliados? O que indiretamente não deixa de ser verdade :)

    • Valeu, Cristiano!

      Basta usar o seguinte refereer code: Rodr1195. Ainda estou procurando uma URL amigável com o código já incluso, mas parece que o Evernote gosta de dificultar as coisas nesse aspecto :-/

      []’s!

Comments are closed.